Blog

Rússia x Ucrânia: efeitos da guerra

A princípio, o alerta de uma guerra impactou o mundo inteiro. A invasão da Rússia à Ucrânia despertou medo e insegurança não só na Europa e Estados Unidos, mas também nos países que mantêm relações políticas e comerciais com essas nações. E o Brasil se inclui nessa lista extensa.

Diante disso, qual é o impacto da guerra aqui no Brasil?

Por se tratar de um assunto muito importante e envolver o cenário mundial, nossa equipe preparou um artigo com pontos muito interessantes em relação à economia brasileira, dentro desse conflito.

Petróleo, gás natural e agricultura

Primeiramente, é válido destacar que o aumento inflacionário e a baixa perspectiva de crescimento, segundo os especialistas consultados pela Forbes, já são efeitos dessa guerra. Além disso, o mercado de ações está em baixa. Até mesmo o bitcoin caiu para menor nível em um mês, o que refletiu no movimento de venda de ativos mais arriscados.

Atualmente, a Rússia é um dos maiores produtores do petróleo do mundo, com capacidade de produção de mais de 10 milhões de barris por dia. Portanto, é previsto um possível aumento dos combustíveis de forma geral. Quem diz isso é René Rodrigues, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, doutor em geologia do petróleo. “Não sabemos como vai seguir essa tendência de conflito. Se continuar, o preço dos combustíveis vai subir”, explicou.

Além disso, o país também é o maior produtor de gás da Europa, responsável por cerca de 40% do abastecimento do continente. Apesar de não depender do fornecimento da Rússia, o Brasil fica passível à redução da oferta de gás natural. Segundo o professor da escola de relações internacionais da FGV (Fundação Getúlio Vargas), Pedro Brites, a maior parte dos fertilizantes importados pelo Brasil vem da Rússia. Esses são produzidos a partir de gás natural.

Contudo, a Europa já registrou aumento de 40% no gás natural. Isso reflete também na agricultura brasileira que deve ser impactada. Dessa forma, os preços dos alimentos devem subir. Um produto em especial chama atenção: o trigo. O Brasil hoje tem uma participação significativa na importação do trigo, onde mais de 80% do trigo importado pelo nosso país vem da Argentina. Como a cotação é internacional, surge uma pressão inflacionária sobre os alimentos.

Dólar e Mercado Financeiro

O Brasil é o primeiro a sentir o impacto da crise na Ucrânia no mercado financeiro. A incerteza na economia global leva a um aumento de repulsão frente ao risco. Diante disso, muitos investidores tendem a migrar seus ativos para mercados mais seguros (como o americano ou japonês) e retirar-se dos emergentes, como o brasileiro.

Países emergentes como o Brasil, tendem a sofrer mais em cenários de maior aversão ao risco, com reflexos na taxa de câmbio, na bolsa e em outros ativos” é o que diz a economista Rachel de Sá.

Em contrapartida, por ser um grande produtor de commodities, o Brasil está atraindo empresas e investidores que procuram alternativas à Rússia. Bens que são produzidos na Rússia e na Ucrânia, como da área agrícola, podem ser produzidos também pelo Brasil. Essas mudanças trouxeram queda no preço do dólar em relação ao real brasileiro.

Política Externa diante da Guerra

O Brasil assume uma posição secundária na disputa em termos permanentes. Isso ganhou um destaque ainda maior quando assumiu um assento não permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas, em janeiro. 

No encontro com Putin bi Kremlin, no dia 16/02, Bolsonaro evitou mencionar a Ucrânia em pronunciamentos, mas destacou o compromisso do Brasil e da Rússia com a Paz:

Pregamos a paz e respeitamos todos aqueles que agem dessa maneira, afinal de contas esse é o interesse de todos nós: paz para o mundo”.  

As declarações feitas por Bolsonaro foram contrárias ao de governos como Estados Unidos que, segundo analistas, a visita em um momento de tensão, poderia ter causado desconforto. No dia 18/02, Jen Psaki, porta-voz da Casa Branca, chegou a afirmar que o Brasil “parece estar do lado oposto à maioria da comunidade global”.

O indicado é que o Brasil possa manter uma postura neutra. “Tudo vai depender do comportamento do Brasil nas votações Conselho de Segurança”, disse Oliver Stuenkel.

Apesar das incertezas e das situações que a guerra causou, é importante que o consumidor esteja atento aos impactos econômicos que o mercado tem sofrido, principalmente nas áreas que são afetadas de forma direta e indireta pelos países que mantêm relações com a guerra. 

Portanto, diante desse período de conflito, nos resta apenas torcer para que no fim de tudo isso a PAZ vença!

Escrito por Adriele Brito

@adriele_souza_santos

Deixe um comentário

Assine a nossa newsletter

Cadastre-se e receba notícias sobre contabilidade, gestão e outros assuntos.